Compra de bilhetes
VideoPass purchase

Lorenzo garante 4ª vitória consecutiva

Lorenzo garante 4ª vitória consecutiva

Lorenzo voou para 4ª vitória da época, mas Rossi podia ter-lhe estragado a festa em casa, não fosse a má qualificação.

Enquanto Jorge Lorenzo, da Movistar Yamaha, levou a cabo brilhante corrida, saindo da terceira posição para assumir desde logo a liderança e não mais a perder até final para garantir, pela primeira vez na carreira, a quarta vitória consecutiva e, com isso, ficar apenas a um ponto do colega de equipa Valentino Rossi no topo da tabela classificativa, todas as emoções do Grande Prémio Monster Energy da Catalunha eram vividas atrás do espanhol.

Marc Márquez também partiu ao ataque desde a quarta posição da grelha para se colar a Lorenzo na frente da corrida logo na primeira volta. Contudo, o piloto da Repsol Honda voltou a errar ao falhar a travagem na Curva 10, na 3ª volta, o que ditou mais um final prematuro de corrida e novo nulo. Um resultado que pode muito bem ter colocado o ponto final definitivo na defesa do ceptro.

Mas se a queda do Campeão do Mundo Márquez foi a causadora do primeiro grande “Oh!” por parte do público, não foi, contudo, a primeira surpresa da corrida. Cal Crutchlow (CWM LCR Honda) foi o primeiro a ir ao chão na Curva 4, na sequência de um toque de Aleix Espargaró na primeira volta enquanto este tentava recuperar terreno após péssima partida com a GSX-RR da Suzuki Ecstar desde a pole.

Pouco depois era a vez de Pol Espargaró, da Monster Yamaha Tech3, a ir ao tapete na quarta volta, na Curva 3, com Andrea Dovizioso a seguir o mau exemplo na Curva 4 na volta seguinte. Um mau resultado do italiano da Ducati Team que, pela segunda vez, ficou a zeros.

Enquanto todas estas emoções fortes elevavam o ritmo cardíaco a níveis muito altos logo no arranque da corrida, Valentino Rossi tratava de recuperar terreno após mais uma fraca qualificação na sétima posição. O líder do Campeonato do Mundo da Movistar Yamaha colou-se de imediato aos quatro primeiros e, ao cabo de quatro voltas já tinha superado Pol Espargaró e Dovi para chegar ao segundo posto.

Já um pouco tarde, é certo, para impedir o companheiro de equipa de assinar nova vitória, mas nem isso impediu o italiano de ir atrás do triunfo. No final a corrida acabou por se revelar curta para Rossi, que teve de se contentar com a segunda posição, ainda assim o bastante para manter a liderança da classificação pela mais curta das margens.

Entretanto, Dani Pedrosa defendia a honra do convento da Repsol Honda. O piloto da casa, que partiu de sexto da grelha, não logrou acompanhar os da frente quando as luzes se apagaram, mesmo assim logrou o terceiro posto. Um resultado positivo para Pedrosa que, depois de três corridas de ausência na sequência de operação ao síndroma compartimental, ainda não tinha terminado no pódio este ano.

Mais atrás, Aleix Espargaró levava a cabo positiva corrida aos comandos da GSX-RR do Team Suzuki Ecstar, isto apesar de uma péssima partida que o viu chegar a rodar em sétimo na primeira volta. Mas o espanhol não desmoralizou e chegou mesmo a rodar no terceiro lugar antes de ver Pedrosa passar por si. Foi então que Espargaró consolidou o quarto posto, mas a pressão de Andrea Iannone acabou por se revelar demasiada e o homem da pole foi ao chão a cinco voltas do final; a terceira queda consecutiva de Aleix.

Desta forma, Iannone deu continuidade ao terceiro lugar de Mugello com a quarta posição na Catalunha após corrida difícil para a qual partiu da 12ª posição da grelha, ainda assim o bastante para lhe permitir a subida ao terceiro posto da geral.

A fechar os cinco primeiros ficou Bradley Smith. Sem a oposição do rival Crutchlow, o britânico não teve grandes problemas em levar de vencida a batalha pelo triunfo entre os pilotos satélite. Atrás dele terminou o estreante Maverick Viñales (Team Suzuki Ecstar), com Scott Reddin (Estrella Galicia 0,0 Marc VDS), Stefan Bradl (Athinà Forward Racing), Danillo Petrucci (Octo Pramac Racing) e Álvaro Bautista (Aprilia Racing Team Gresini) a completarem o Top 10.

Em termos de Campeonato, e como já foi referido, Valentino Rossi segue na frente com 138 pontos, apenas mais um que Jorge Lorenzo. Iannone é agora terceiro, com 94, seguido do colega de equipa Dovizioso, com 83, enquanto o Campeão do Mundo Márquez caiu para quinto com 69 pontos, mais um que Bradley Smith. No que toca aos Construtores a liderança está a cargo da Yamaha, com 141 pontos, seguida da Ducati (106) e da Honda (98). Já nas Equipas, a Movistar Yamaha MotoGP soma 230 pontos, com a Ducati Team em segundo lugar (164), a Monster Yamaha Tech3 em terceiro (102) e a Repsol Honda num invulgar quarto lugar com 97 pontos.

Tags:
MotoGP, 2015, GRAN PREMI MONSTER ENERGY DE CATALUNYA, RAC, Jorge Lorenzo, Dani Pedrosa, Valentino Rossi, Repsol Honda Team, Movistar Yamaha MotoGP

Outras actualizações que o podem interessar ›