Compra de bilhetes
VideoPass purchase

Smith: “Bater duas motos de fábrica foi bom”

Smith: “Bater duas motos de fábrica foi bom”

Bradley Smith terminou o Motul TT Assen em sétimo depois de ter partido de 12º.

Bradley Smith levou a cabo mais uma forte demonstração na Holanda para terminar em sétimo depois de ter estado envolvido em animado despique com o colega de equipa até à bandeira de xadrez. O piloto de 24 anos partiu para a corrida de MotoGP™ na Catedral desde a 12ª posição da grelha e fez boa largada para terminar a primeira volta já em oitavo.

Bradley Smith: “No geral, estou contente por sair de Assen com mais um sólido resultado apesar de ter sido uma corrida muito trabalhosa. Foi especialmente difícil atrás das Honda e Ducati; têm estilos de pilotagem diferentes em comparação com as Yamaha, pelo que não foi fácil encontrar o meu caminho. Para ser franco, foi uma pena ter-me qualificado em 12º porque senti claramente que tinha moto para ser quarto. Na segunda parte da corrida tentei passar o Pol, a umas oito voltas do final, mas saí de pista e depois tive de voltar a recuperar. Mesmo assim, bater duas motos de fábrica foi muito bom, em particular porque foi em luta directa, pelo que posso estar contente com a minha prestação. Além disso, a melhor moto satélite ficou mesmo à minha frente, o que significa que estamos competitivos outra vez. Tenho de agradecer à equipa pelo grande trabalho que fez e estou desejoso por voltar à minha M1 em Sachsenring.”

Tags:
MotoGP, 2015, MOTUL TT ASSEN, RAC, Bradley Smith, Monster Yamaha Tech 3

Outras actualizações que o podem interessar ›