Compra de bilhetes
VideoPass purchase

O toque de Ajo

O toque de Ajo

Aki Ajo tornou-se num mais estimados managers da categoria mais baixa, ajudando na formação de incontáveis campeões.

O líder da Red Bull KTM Ajo e da Ajo Motorsport nas categorias de Moto3™ e Moto2™, respectivamente, Aki Ajo já criou três campeões na categoria mais baixa desde que iniciou a equipa em 2002, além de ter também ajudado a formar algumas das mais brilhantes estrelas do Campeonato do Mundo de MotoGP™. A época de estreia de 2002 foi de grande sucesso com Mika Kallio, piloto de Ajo na altura, a terminar na quinta posição da geral e sagrar-se Melhor Estreante do Ano.

Seriam necessários apenas seis anos para a formação finlandesa chegar ao primeiro ceptro mundial com Mike De Meglio em 2008. A isto seguiu-se o primeiro título de Marc Márquez, em 2010, e depois outro em 2012, com Sandro Cortese a tornar-se no primeiro Campeão do Mundo de Moto3™.

Em conjunto com esta lista de campeões, Ajo fez crescer a equipa da várias formas, incluindo projectos como a Avant-Air Asia-Ajo, que levou Johann Zarco ao segundo lugar em 2011, e a Avant Tecno Husqvarna Ajo Moto3™ em 2014 e também o actual projecto de Moto2™ com Johann Zarco. O que talvez seja mais impressionante que a lista de vencedores de Ajo é a sua capacidade de domar os pilotos, transformando cabeças quentes e agressivas em candidatos aos títulos.

Os pilotos finlandeses são frequentemente apelidados de “Ice-man”, pelas personalidades calma e reservada que apresentam serem um claro contraste com a natureza rápida e super agressiva das corridas. O próprio Ajo preenche muito bem o estereotipo finlandês, mantendo-se sempre concentrado e calmo mesmo nas circunstâncias mais desafiantes.

Uma dessas situações teve lugar no GP de Portugal de 125cc, em 2010, quando Marc Márquez caiu na volta de formação; a equipa Ajo viu-se obrigada a reconstruir rapidamente a moto no pit lane. Durante esta louca sequência de eventos Aki Ajo manteve-se calmo, ajudando a dirigir a rápida reparação da Derbi de Márquez. Muitos acreditam que todos os pilotos que são dirigidos por Ajo beneficiam muito da sua calma.

Talvez o melhor exemplo deste efeito calmante seja Luis Salom. Em 2012, antes de rodar pela formação de Ajo, Salom somou oito pódios, incluindo duas vitórias, mas caiu três vezes e terminou fora dos cinco primeiros por três vezes, ganhando a reputação de super agressivo e emocional. São claramente resultados fortes, mas demasiado inconsistentes para um verdadeiro ataque ao título; em 2011 o piloto apresentou resultados semelhantes, com várias presenças nos cinco primeiros, mas também com várias visitas à gravilha.

Depois, quando Salom entrou para a Red Bull KTM Ajo em 2013 só não terminou uma corrida e levou a luta pelo ceptro até à última corrida em Valencia. Muitos consideram que foi Aki Ajo quem conseguiu domar Salom, tornando-o num candidato ao título. História semelhante pode encontrar-se com Jack Miller; Ajo conseguiu ver o talento em bruto do australiano e deu-lhe a oportunidade de rodar com uma máquina de fábrica competitiva, ao que o piloto respondeu com a segunda posição da geral no final da época.

Em 2015 Johann Zarco volta a rodar sob a tutela de Ajo, na nova formação de Moto2™ do finlandês, a primeira vez que se aventura fora da categoria mais baixa. Tal como em 2011, Zarco apresenta-se como candidato ao ceptro em 2015, mas com muito menos erros e manobras pouco pensadas.

Mika Kallio pode ter sido o primeiro piloto Ajo, mas a lista de alunos é uma verdadeira “quem é quem” do MotoGP™, com estrelas do presente e do futuro a terem passado tempo com o calmante finlandês. Além de Marc Márquez, destacam-se ainda os nomes de Dominique Aegerter, Danny Kent e Jonas Folger, todos eles a terem corrido em alguma altura por Ajo e a beneficiarem claramente da sua sabedoria. A classe mais baixa é provavelmente o período mais importante na carreira de um piloto; resultados fracos e nunca vão evoluir. Sob a direcção de Ajo muitos conseguiram progredir e chegar a patamares mais alto, como Marc Márquez, que atingiu o pináculo.

Tags:
Moto3, 2015, Ajo Motorsport, Red Bull KTM Ajo

Outras actualizações que o podem interessar ›