Compra de bilhetes
VideoPass purchase

Revisão de quedas a meio da época

Revisão de quedas a meio da época

As quedas podem ser frequentes nas corridas; alguns pilotos conseguem abandonar o hábito, outros não.

Frequentemente, quando os pilotos caem é porque estão além dos limites, aprender onde estão esses limites é muitas vezes o que transforma um piloto rápido num campeão. Em cada ano os pilotos são classificados como “acidentados frequentes”; alguns conseguem livrar-se da reputação, enquanto outros a cimentam. Até ao momento 2015 tem apresentado as mesmas tendências da época anterior, mas alguns pilotos estão a ter sucesso na melhoria da sua reputação.

Quem lidera nesta matéria é Andrea Iannone, que passou para a Ducati Team em 2015. Nos anos da Moto2™ e início do MotoGP™ Iannone era conhecido como um “acidentado frequente”, com a sua grande velocidade a ser marcada por quedas frequentes. Na estreia na categoria rainha em 2013 Iannone foi ao chão durante 12 vezes ao longo do ano e 14 em 2014 enquanto tentava melhorar os resultados. A passagem para a formação de fábrica era muito esperada, enquanto havia muitas dúvidas sobre até que ponto o seu hábito de cair poderia prejudicar o desenvolvimento da Ducati.

Para surpresa de muitos, Iannone tornou-se num dos pilotos mais consistentes da classe de MotoGP™ com apenas uma queda até ao momento em 2015. Dos pilotos a tempo inteiro na categoria rainha apenas Jorge Lorenzo e Valentino Rossi (ambos da Movistar Yamaha MotoGP) sofreram menos quedas. No mesmo período no ano passado Iannone totalizava já seis acidentes. Esta é a melhoria mais dramática por parte de qualquer piloto nas três categorias e o terceiro lugar da geral é o prémio de Iannone por esta inversão de hábitos.

Outra mudança dramática foi a do candidato ao ceptro da Moto2™ Johann Zarco (Ajo Motorsport), que também só sofreu uma queda este ano. Nesta altura do campeonato no ano passado o gaulês já tinha ido ao chão por cinco vezes, incluindo a espectacular bola de fogo no GP da Alemanha de 2014. Ao longo da época passada Zarco acabou por sofrer, no total, 11 quedas; um número que não se pode considerar anormalmente elevado, mas este ano tem apresentado uma melhoria dramática.

Na Moto3™ Enea Bastianini (Gresini Racing Team Moto3) está entre os que mais melhoraram, reduzindo o total de quedas para um terço na primeira metade do ano. No final do GP da Alemanha de 2014 o italiano tinha caído seis vezes contra as actuais duas.

Do lado oposto do espectro surgem Mike Di Meglio (Avintia Racing), Axel Pons (AGR Team) e Sam Lowes (Speed Up Racing), que já totalizam dez idas ao tapete este ano, mais do que outros ao longo de toda a passada temporada. Os três são conhecidos como “acidentados frequentes”, mas curiosamente a maior parte das quedas de Lowes surgiram durante os treinos, com o britânico a conseguir lutar pelo pódio com frequência nas corridas. Marc Márquez (Repsol Honda Team) apresentou características semelhantes na campanha de estreia no MotoGP™, encontrando os limites durante os treinos através de quedas azaradas.

Das três categorias, os pilotos da Moto3™ são os que lideram a tabela de quedas com 193 até ao momento este ano. Karel Hanika e Tatsuki Suzuki têm a duvidosa honra de liderar a tabela com 11 acidentes cada um. No ano passado Hanika foi ao chão por 24 vezes, o segundo piloto com maior número de acidentes em todo o Campeonato do Mundo. Parece que Hanika tem algum trabalho a fazer para acabar com a reputação de “acidentado frequente”.

Tags:
MotoGP, 2015, Tatsuki Suzuki, Enea Bastianini, Karel Hanika, Johann Zarco, Andrea Iannone

Outras actualizações que o podem interessar ›

motogp.com
O toque de Ajo

1 ano ago

O toque de Ajo