Compra de bilhetes
VideoPass purchase

Pilotos de MotoGP™ antevêem Indy

Pilotos de MotoGP™ antevêem Indy

Pilotos de MotoGP™ falaram com os jornalistas antes do arranque da 2ª metade da época nesta tarde de quinta-feira em Indy.

A tradicional conferência de imprensa de pré-evento voltou a assinalar o início oficial do Red Bull Grande Prémio de Indianápolis e da segunda metade da época com Valentino Rossi, Jorge Lorenzo, Andrea Iannone, Marc Márquez, Bradley Smith, Stefan Bradl e Nicky Hayden a dizerem o que pensam antes do arranque da décima jornada da época.

O líder do Campeonato do Mundo de MotoGP™, Rossi, foi o primeiro a falar e disse: “Creio que é bom para todos termos uma paragem mesmo a meio do Campeonato. A primeira parte foi muito boa e tentámos relaxar e estar prontos para a segunda. Vai ser complicado, com todos os pilotos muito rápidos, mas estamos aqui e vamos tentar um bom resultado, mesmo com esta pista a não ser uma das minhas preferidas.”

“Ainda assim, no ano passado consegui uma boa corrida. Penso que as primeiras dez voltas do ano passado foram as mais emocionantes de toda a temporada, com muitos pilotos a lutarem forte. No final, na segunda metade da corrida, não consegui ficar com o Marc e com o Jorge, mas terminei no pódio. Vamos tentar continuar a melhorar e estar em bom plano desde o treinos, mas também temos de ver o estado do tempo porque ninguém sabe qual é o nível de aderência deste asfalto,” rematou o italiano.

Enquanto isso, Lorenzo recordou o triunfo de 2009, mas também as dificuldades sentidas depois. “Em 2009 consegui uma boa vitória, mas no anos seguintes não consegui lutar pelo triunfo. No ano passado as modificações feitas à pista acabaram, a meu ver, por facilitar um pouco a vita aos pilotos Yamaha. Julgo que a moto este ano trabalha bem, temos boa dinâmica. Talvez não tenhamos conseguido o melhor resultado nas duas últimas corridas, mas nas anteriores foi positivo. Estamos muito motivados após a boa corrida do ano passado.”

“Estamos apostados num bom resultado como no ano passado e com este novo asfalto, que deverá ter mais aderência, devemos ter menos problemas. É claro que o Valentino está na frente da classificação e eu estou a 13 pontos, pelo que ele é o favorito. É ele que tem de ser batido, mas o Marc também está muito forte e venceu a última corrida. parece que a Honda encontrou algo para solucionar os problemas que tinha, mas agora estamos numa pista mais fluída e temos uma grande oportunidade.”

Quem também respondeu aos jornalistas foi o melhor representante da Ducati na classificação geral, Andrea Iannone, que disse: “Sim, a primeira metade da época foi boa para mim. Estou contente com a prestação e comparando com o ano passado melhorámos muito e demos um grande passo em frente. Não é fácil estar na frente e temos de continuar a lutar muito. Esta pista é boa, mas não é fácil; tem muitos pontos de travagem e também não é das minhas preferidas. Mesmo assim, penso que é um boa pista para a GP15; já não era má com a GP14 e esta moto é ainda melhor.”

No entanto, uma das vozes mais esperada era a Marc Márquez, que adiantou: “É claro que as duas últimas corridas foram muito melhores e a paragem de Verão chegou quando queria mais corridas! Testámos em Misano, o que foi importante para alterarmos pequenas coisas, e agora tudo parece melhor. Veremos aqui, já que este é um bom circuito para nós; é certo que a Yamaha esteve mais perto no ano passado com a alteração do desenho da pista, mas creio que podemos ter um bom fim‑de‑semana. O tempo também será uma dúvida, mas vamos dar o máximo.”

“Sim, 65 pontos na primeira metade da época é muito, mas eles talvez possam perder na segunda metade! Sei que não será fácil e que a diferença é muito grande, mas é claro que vamos tentar concentrar-nos como nas duas últimas corridas e lutar para rodarmos no limite – depois veremos o que acontece,” rematou o Campeão do Mundo.

Já o britânico Bradley Smith falou também da sua participação nas míticas 8 Horas de Suzuka. “Foi uma boa forma de passar a paragem de Verão, com duas semanas no Japão e a dar à Yamaha a vitória nas 8 Horas de Suzuka com a nova R1. Estávamos sob muita pressão; fomos contratados por um motivo apenas. Foi bom atingir os objectivos e não foi nada mau enquanto estreante!” Já em relação ao futuro Smith confessou que “gostava de ter algumas notícias positivas, mas está tudo muito tranquilo. Deixei muito claro que quero continuar com a Yamaha, mas não vejo o mesmo entusiasmo do outro lado.”

Enquanto isso Stefan Bradl começou por falar das alterações de última hora que se verificaram durante a paragem de Verão: “Penso que todos receberam algumas informações sobre o que se passou e agora aqui estou com novas cores e nova moto. Estou muito contente por termos sido capazes de fazer isto porque não foram tempos fáceis para mim estas últimas três semanas. Ainda estava a recuperar da lesão no escafoide, pelo que passei muito tempo no computador a responder a e-mails e à espera de respostas. Estou muito contente por a Aprilia me dar esta oportunidade de terminar a época e de os ajudar com o desenvolvimento.”

Nicky Hayden, o único americano da grelha do MotoGP™, disse: “Indy é um local muito especial, com muita história. Fizeram muitas alterações que não pude testar no ano passado, mas os pilotos parecem gostar muito deles. Estou desejoso por as conhecer amanhã. Tem sido um ano difícil, não há nada para celebrar. Isso é o lado mau da paragem; após maus resultados não há grandes motivos de alegria. Mesmo assim, ainda temos muitas provas pela frente e espero conseguir inverter as coisas e divertir-me um pouco.”

Tags:
MotoGP, 2015, RED BULL INDIANAPOLIS GRAND PRIX, Valentino Rossi, Andrea Iannone, Bradley Smith, Jorge Lorenzo, Nicky Hayden, Marc Marquez, Movistar Yamaha MotoGP, Repsol Honda Team, Aspar MotoGP Team, Aprilia Racing Team Gresini, Ducati Team

Outras actualizações que o podem interessar ›