Compra de bilhetes
VideoPass purchase

GP de Brno arranca com conferência de imprensa

GP de Brno arranca com conferência de imprensa

A tradicional conferência de imprensa de pré-evento marcou o início da 11ª jornada da época, o bwin GP da República Checa, em Brno.

O líder do Campeonato do Mundo Valentino, o colega de equipa e mais directo rival Jorge Lorenzo, o Campeão do Mundo Márquez, Cal Crutchlow e Karel Abraham foram os pilotos que marcaram presença na tradicional conferência de imprensa de pré-evento das tardes de quinta-feira para dar início ao bwin Grande Prémio da República Checa.

O primeiro a falar com a imprensa presente foi o italiano da Movistar Yamaha MotoGP. “Antes de mais, é difícil com o jet lag da viagem dos Estados Unidos; é particularmente difícil de manhã,” confessou Valentino Rossi. “Amanhã de manhã tenho de tentar acordar com energia suficiente!”

“É outro tipo de pista, com um traçado fantástico. Uma das melhores, gosto muito mais de Brno do que de Indy. Tem uma grande história e atmosfera fantástica. Creio que nos últimos anos se tornou um pouco mais difícil porque a aderência parece não ser tão boa aqui, pelo que temos de rodar na perfeição para ter um bom ritmo. Estamos prontos para amanhã e, como sempre, temos de tentar começar fortes. A luta será dura por causa do Jorge, do Marc e do Pedrosa, que são muito fortes aqui. Vamos ter de nos esforçar mais desde a FP1.”

“Tenho muitas corridas que já foram disputadas há muitos anos, mas que nunca esqueço. Aqui é uma delas, a minha primeira pole position pouco depois do meu primeiro pódio. Mas a vitória é diferente, é quando pensas que te podes tornar num verdadeiro piloto profissional.”

Apesar do atraso, o colega de equipa de Rossi na formação de fábrica da Yamaha foi o segundo a falar. “Chegamos a Brno após um bom resultado em Indy e uma boa corrida. Acredito que fizemos uma boa corrida e consistente e consegui lutar com o Marc. Agora chegámos a uma pista que, em teoria e historicamente, é boa para o meu estilo. Mas como sabem, só a partir de sexta-feira de manhã é que sabemos que problemas poderemos ter. Estou curioso em relação à FP1 para ver onde estamos.”

“Em 2013 ainda não estava em tão boa forma como é normal por causa da queda na Alemanha; a minha clavícula não estava perfeita. Não estava suficientemente forte para puxar até ao final e terminei em terceiro após grande batalha com o Marc e o Dani, ainda me recordo. No ano passado fui segundo, atrás do Dani, e tive um ritmo forte no final da corrida. Agora espero que tenhamos um fim‑de‑semana forte para estar em posição de lutar nas últimas voltas.”

Enquanto isso, Marc Márquez reconheceu as diferenças entre a sua situação no ano passado e nesta época. “Sim, no ano passado é claro que chegámos aqui em posição diferente. Talvez esteja mais motivado este ano após duas boas corridas,” começou o Campeão do Mundo da Repsol Honda. “Também estamos a melhorar cada vez mais e isso dá-me confiança. No ano passado tivemos um bom fim‑de‑semana, apenas um mau domingo com alguns problemas, mas depois melhorámos no teste de segunda-feira. Vamos continuar a melhorar este fim‑de‑semana, mas sei que será difícil porque os dois pilotos da Yamaha está a um nível muito bom. Como sempre, vou dar tudo e correr riscos para estar com eles.”

“Vou fazer as coisas corrida a corrida; em Indy estava a 65 pontos e agora estou a 56. Estamos mais perto, mas ainda há muitos pontos entre mim e o Valentino e o Jorge. Vou continuar com a mesma mentalidade para tentar lá estar, como sempre. Este circuito foi bom para mim no passado, não tanto como Indy, mas gosto do traçado. Sei porque lutei no ano passado e sei que posso esperar um grande fim‑de‑semana. Sei que vai ser complicado, mas vou tentar estar competitivo desde a FP1.”
Já Andrea Dovizioso espera melhorar face às corridas mais recentes. “Nas últimas provas não terminei onde éramos capazes de terminar. Ao cabo de cinco corridas não somei grandes pontos, não é o meu estilo. É a primeira vez na minha carreira,” começou o italiano da Ducati Team. “Penso que isto se deve a alguns motivos, algum azar e alguns pequenos erros. Estou aqui para voltar ao ataque. Tive azar em Indy na partida. Sei que podemos lutar pelo pódio, mas o objectivo é reduzir o atraso e continuar a recuperar.”

“Creio que neste momento estamos perante a realidade do Campeonato. Ninguém tem a resposta, mas os quatro primeiros continuam a aumentar o nível. Agora estão os quatro na melhor forma, têm boas motos, sem grandes limites, e são todos campeões, pelo que a diferença aumentou um pouco. A nossa moto é totalmente nova, pelo que estamos numa situação diferente da Yamaha e da Honda, que passaram muitos anos a olhar para pequenos detalhes. A diferença é grande, 20 segundos não são fáceis de recuperar. Estamos muito concentrados e a trabalhar muito.”

Entretanto, Cal Crutchlow (CWM LCR Honda) espera regressar aos bons resultados. “Brno é uma pista que nos é favorável. Fiz grandes corridas aqui no passado, foi aqui que consegui o meu primeiro pódio. Espero estar melhor que no ano passado, em que só consegui dar uma volta! Brno deve ser favorável ao meu estilo, espero ser rápido.”

Mas a grande novidade veio de Karel Abraham (AB Motoracing), que volta à acção no GP caseiro. “Posso correr! Tenho quase 100% de certeza, mas não me sinto fantástico. Esperava estar totalmente apto, mas ainda tenho dores no pé. Lutei um pouco para o colocar na bot; estou certo que vou ter muitas dores, mas penso que posso correr.”

“Inicialmente pensei que fosse apenas uma pequena lesão que estaria ultrapassada num mês. Infelizmente, foi pior que isso devido à complexidade do pé; o osso partido não foi nada, o tratamento dos tendões foi pior. A deslocação do osso foi má porque tive de colocar arames no pé para manter tudo lugar durante quase um mês; ainda bem que agora está bom.”

Tags:
MotoGP, 2015, bwin GRAND PRIX ČESKÉ REPUBLIKY, Karel Abraham, Marc Marquez, Valentino Rossi, Andrea Dovizioso, Jorge Lorenzo, Cal Crutchlow, Repsol Honda Team, Movistar Yamaha MotoGP, Ducati Team, LCR Honda

Outras actualizações que o podem interessar ›