Compra de bilhetes
VideoPass purchase

Entrevista Bradley Smith: Cumprir promessas

Entrevista Bradley Smith: Cumprir promessas

Bradley Smith fala em exclusivo com o motogp.com sobre o novo contrato, o GP em casa e a importância de cumprir promessas.

Bradley Smith, da Monster Yamaha Tech3, é actualmente quinto no Campeonato do Mundo de MotoGP™ com 106 pontos ao cabo de 11 corridas e acabou de assinar novo contrato de um ano com a sua equipa para 2016.

Então Bradley, depois de todos os esforços deves sentir-te satisfeito com o novo contrato?
“Sim, sabe mesmo bem estar numa posição forte! Atingi aquilo a que me tinha proposto no início da época. Não era um objectivo fácil o de ser o melhor piloto satélite tendo de lutar contra o Cal e o meu colega de equipa Pol depois dele ter apresentado uma época de estreia tão forte. Depois, é claro, também contra o Scott na Honda de Fábrica, mas consegui e excedi. Tenho 25 pontos de vantagem sobre o Pol e os demais e sou quinto no Campeonato, à frente do Dovizioso e do Pedrosa, apesar de reconhecer que tal se deve à lesão dele. É muito bom ser quinto no Campeonato ao cabo de 11 corridas, é bom ir além das expectativas, mas tenho de continuar a ser realista e manter a concentração nas corridas que ainda faltam.”

A pressão de teres apenas um ano de contracto fez-te dar o melhor de ti?
“Sim, fez. Sabia que esta época era importante. No final acabei por ter sorte e manter o meu lugar no final do ano passado e por a Tech3 me manter este ano. Acreditaram no que podia fazer e os patrocinadores ficaram convencidos; não tenho a certeza se todos eles acreditavam no que conseguia fazer no início. Foi bom mudar isso e, basicamente, retribuir a confiança que o Hervé, a equipa dele e a Yamaha depositaram em mim.”

Deve ser bom ultrapassar toda essa pressão e cumprir o que disseste…
“Sim, é bom! Tentei ser o mais realista possível em relação ao meu potencial, não sei sempre o que posso fazer! É claro que tenho uma boa ideia e, como disso, é muito bom cumprir as promessas. Há muitos pilotos que falam deles próprios e não conseguem cumprir; penso que isso é um pouco vergonhoso, pelo que é bom fazer o que dissemos que íamos fazer. Limito-me a fazer o meu trabalho tranquilamente e deixo os resultados falarem por si.”

Agora que tens o futuro no MotoGP™ garantido, o que se segue Bradley?
“É claro que quero terminar a época forte e manter as duas motos de fábrica atrás de mim. Penso que será muito difícil, mas o objectivo do início da temporada era terminar em sétimo. De momento sou quinto; se no final terminar em sétimo estarei dentro do objectivo, tudo que o vier além disso é um bonus. Temos apenas de esperar pela oportunidade de lutar pelo pódio. No ano passado tivemos algumas corridas bandeira-a-bandeira e vimos o Cal terminar no pódio este ano no Argentina. Por isso sabemos que é possível. Estou apenas à espera da oportunidade para isso e tenho de garantir que estou no local certo quando a oportunidade surgir!”

Quão importante seria o primeiro pódio da época em casa?
“Seria mesmo muito bom para o público da casa! Mas sou realista e não é um objectivo realista para este fim‑de‑semana. Sei que a Yamaha se dá bem em Silverstone e que a Bridgestone também vai trazer uns pneus ligeiramente diferentes. Acredito que isso vai funcionar bem para a Yamaha. Temos de ter em conta que Silverstone é uma pista muito rápida e fluída, pelo que as Ducati, com a sua potência e velocidade, serão fortes. A Honda, como sabemos, é sempre forte, pelo que não vai ser um mar de rosas para a Yamaha. Mas com o apoio do público da casa e o facto de adorar Silverstone e por sentir que esta é a ‘minha’ corrida – cresci a apenas 30 minutos daqui – estou desejoso por levar a cabo a minha melhor prestação da época.”

Tags:
MotoGP, 2015, Bradley Smith, Monster Yamaha Tech 3

Outras actualizações que o podem interessar ›

motogp.com
HITTING THE APEX - Trailer

1 ano ago

HITTING THE APEX - Trailer

motogp.com
#BritishGP: O desempate

1 ano ago

#BritishGP: O desempate