Compra de bilhetes
VideoPass purchase

Conferência de imprensa marca arranque de GP de Aragão

Conferência de imprensa marca arranque de GP de Aragão

A tradicional conferência de imprensa de pré-evento marcou o início do Grande Prémio Movistar de Aragão esta quinta-feira.

A dupla da Movistar Yamaha MotoGP, Valentino Rossi e Jorge Lorenzo, Marc Márquez, da Repsol Honda, Bradley Smith, da Monster Yamaha Tech3, Scott Redding, da Estrella Galicia 0,0 Marc VDS, e Johan Zarco, da Ajo Motorsport, foram os pilotos que marcaram presença na tradicional conferência de imprensa de pré-evento de quinta-feira que marcou o início do Grande Prémio Movistar de Aragão.

O líder da geral Valentino Rossi até aumentou a vantagem na frente da classificação em Misano, mas não se revelou muito contente e quer mais. “Não fiquei contente com o meu resultado em Misano, queria melhor. Mas atendendo às circunstâncias do Campeonato consegui ganhar alguns pontos ao Jorge e dilatar a vantagem. Isto é muito importante. Temos cinco corridas pela frente, ainda é muito, e temos de ser rápidos e tirar o melhor partido deste fim‑de‑semana. Em 2013 consegui um pódio, mas foi devido à queda do Dani e estava muito longe do Jorge e do Marc. Creio que no ano passado podia ter feito boa corrida, estive rápido no domingo, talvez demasiado rápido e acabei por cometer um erro ao travar com o Dani e acabei por cair. Não sei qual é o meu potencial para o resto da corrida. É uma pista difícil, mas muito boa.” 

“Vinte e três pontos podem ser uma boa vantagem, mas também não é o suficiente! Em especial porque o Jorge está muito forte em todas as pistas e ele pode vencer em todos os fins-de-semana. Ao mesmo tempo, o Marc está ao mesmo nível, o que significa que se terminar atrás deles nas próximas corridas perco toda a minha vantagem. O objectivo é encontrar velocidade e lutar pelo pódio.”

Jorge Lorenzo prepara-se para correr no MotorLand Aragón após o primeiro zero da época e vai agora tentar reduzir o atraso para Rossi.

“Prefiro as corridas sem chuva. Nas últimas duas corridas tinha boas sensações e pensava que podia vencer ambas. Assim, em dois GPs onde podia ganhar pontos acabei por perder 23 por causa da chuva. Aragão não é um traçado onde, histórica e teoricamente, a Yamaha se adapte bem, mas venci no ano passado e espero que voltemos a estar competitivo este fim‑de‑semana.”

Terceiro da geral, Marc Márquez, vem para a ronda espanhola ainda com a vitória de São Marino fresca na memória e pode assinar o 50º triunfo da carreira.

“Vamos ver como correm as coisas porque os pilotos Yamaha testaram em Aragão e de certeza que estarão fortes. Mas o objectivo é lutar pela vitória. Não estou preocupado com o Campeonato, é-me igual ser segundo ou terceiro, o que quero é acabar o ano a vencer corridas e com boas sensações. Até agora a minha carreira está a correr muito bem, este talvez seja o ano em que tive mais dificuldades, mas no fim de contas já ganhei quatro corridas e estou muito contente com os números do meu palmarés.”

Enquanto isso, e após brilhante prestação em Misano, Bradley Smith chega a Aragão cheio de confiança. “Misano foi um resultado fantástico para mim e para a equipa. Foi especial porque é complicado para os pilotos satélite subirem ao pódio. Não esperava estar em quinto da classificação por esta altura, mas vamos ver o que consigo fazer até ao final da época e se consigo manter a posição. É um orgulho ser o primeiro entre os pilotos satélite, estou muito contente com a forma como está a correr a temporada e vou continuar concentrado a trabalhar duro até ao fim.”

Em situação semelhante apresenta-se Scott Redding, que se estreou no pódio da categoria rainha em Misano. “O objectivo é terminar entre os dez primeiros. Este fim‑de‑semana vou voltar a lutar por isso e espero que a moto funcione bem aqui em Aragão para conseguir o objectivo. É um circuito incrível, sobretudo numa máquina de MotoGP, pelo que vamos ver se consigo melhorar em cada sessão para fazer uma boa corrida.”

Como convidado especial esteve Johan Zarco. O gaulês tem agora a primeira possibilidade de conquistar o ceptro da Moto2™ e disse: “É muito bom estar nesta situação, tenho alguma pressão, mas não muito. Fiz mais entrevistas, os jornalistas perguntam-me, mas tento estar tranquilo porque o mais importante é vencer o título e não onde. Não falei com a equipa sobre a estratégia para a corrida, a situação é-me favorável, pelo que vou continuar a trabalhar como até agora. Não preparei nada para festejar, talvez o meu manager, mas eu não preparei nada.”

Tags:
MotoGP, 2015, GRAN PREMIO MOVISTAR DE ARAGÓN, Johann Zarco, Scott Redding, Bradley Smith, Valentino Rossi, Marc Marquez, Jorge Lorenzo, Ajo Motorsport, Repsol Honda Team, EG 0,0 Marc VDS, Movistar Yamaha MotoGP, Monster Yamaha Tech 3

Acompanhe a história ›

Outras actualizações que o podem interessar ›