Compra de bilhetes
VideoPass purchase

Iannone: “Dei tudo o que tinha apesar das dores”

Iannone: “Dei tudo o que tinha apesar das dores”

Mesmo com nova lesão no ombro esquerdo, o italiano partiu da primeira linha da grelha para terminar o GP Movistar de Aragão em 4º.

Iannone, que partiu da terceira posição da grelha, fez boa largada e concluiu a primeira volta no terceiro lugar. Depois de Márquez sofrer queda na volta seguinte o piloto da Ducati Team ascendeu a segundo, mas foi depois passado por Pedrosa e Rossi nas duas voltas seguintes. Iannone manteve-se então no quarto posto até à bandeira de xadrez, o que lhe permitiu, apesar da lesão no ombro esquerdo, manter o quarto posto da classificação geral, agora a 12 pontos de Márquez.

Andrea Iannone: “Apesar da minha condição física, fiz uma boa corrida, mas estou um pouco desapontado por não ter conseguido acompanhar o Pedrosa e o Rossi. Pensei que tinha o ritmo deles e que podia lutar com eles, mas foram sempre mais rápidos que eu uns décimos, o que replicou um pouco o que se passou na FP4. Gostava de ter sido capaz de lutar pelo pódio porque a minha equipa está a trabalhar muito e é importante conseguir resultados encorajadores para toda a formação. Dei tudo o que tinha apesar das dores no ombro e tenho de agradecer ao pessoal da Clínica Móvel porque me deram algumas injecções que anularam as dores na primeira parte da corrida.”

Tags:
MotoGP, 2015, GRAN PREMIO MOVISTAR DE ARAGÓN, RAC, Andrea Iannone, Ducati Team

Outras actualizações que o podem interessar ›