Compra de bilhetes
VideoPass purchase

Uma época negra para Márquez

Uma época negra para Márquez

A defesa do ceptro em 2015 não tem sido fácil para Marc Márquez, com cinco quedas e múltiplas lesões a acabarem com o sonho do ceptro.

Pouco duvidavam da velocidade e talento de Marc Márquez antes do arranque do Campeonato do Mundo de MotoGP™, muitos viam-no como favorito à coroa depois de ter já conquistado dois títulos consecutivos. Mas cinco quedas, múltiplas lesões e um quadro Honda de 2015 difícil de controlar resultaram na temporada mais difícil até à data.

Um erro na Curva 1 na ronda de abertura do ano no Qatar viu-o cair para o final do pelotão, recuperando depois para terminar a difícil corrida em quinto. Seguiu-se forte triunfo em Austin, dando continuidade ao seu domínio no traçado.

O GP Red Bull da Argentina começou bem para Márquez ao garantir a pole com meio segundo de vantagem, mas terminou em desastre com ele e Valentino Rossi a tocarem-se nos momentos finais; Márquez falhou e registou o primeiro nulo da época.

O regresso do Campeonato do Mundo de MotoGP™ à Europa representou mais um complicado fim‑de‑semana para Márquez. Enquanto treinava numa pista de terra antes de Jerez sofreu queda e fracturou o mindinho esquerdo. A Repsol Honda dotou a sua RC213V de um punho especial para o ajudar, mas as dores distraíram muito Márquez. Ainda assim, logrou o segundo posto.

França, como o Qatar, viu Márquez cometer erro no início caindo para sétimo antes de recuperar até ao quarto posto. Com apenas dois pódios nas cinco primeiras corridas Márquez vivia o pior arranque de época de MotoGP™ desde que se juntou à categoria rainha em 2013. Foi em França que os problemas com a Honda de 2015 começaram a surgir e foram experimentados uma série de braços oscilantes e outros componentes para resolver o problema.

Seguiram-se as desistências consecutivas de Mugello e Barcelona, a primeira vez que Márquez não terminava duas corridas seguidas na categoria rainha. Isto levou ao regresso ao quadro de 2014 por parte do espanhol em Assen, onde lutou pela vitória. Como na Argentina, um desentendimento com Rossi acabou com as esperanças de triunfo, mas Márquez conseguiu manter-se na moto e terminar em segundo.

Os GPs da Alemanha e de Indianápolis deram mais esperança na ultrapassagem dos problemas com o piloto da Repsol Honda a vencer em ambas as provas, mas duas rondas depois, no GP de Inglaterra, Márquez voltou a cair. A queda à chuva enquanto perseguia Rossi pela vitória foi mais um ponto negro.

Em Aragão Márquez sofreu a quinta queda de 2015, falhando à segunda volta na Curva 12 quando ia atrás de Jorge Lorenzo (Movistar Yamaha). Márquez assumiu as culpas. Com cinco quedas em 14 corridas, 2015 está a ser a pior época desde que entrou para o Campeonato do Mundo em 2008. Nas duas duas primeiras temporadas na categoria mais baixa caiu por quatro vezes enquanto tratava de conhecer as motos, pistas e outros pilotos.

Antes do GP do Japão Márquez caiu de bicicleta quando treinava, o que resultou em fractura do quinto metacarpo da mão esquerda. Ele foi operado de imediato e vai para o Japão com o intuito de tentar terminar a época de 2015 em terceiro da geral.

Tags:
MotoGP, 2015, MOTUL GRAND PRIX OF JAPAN, Marc Marquez, Repsol Honda Team

Acompanhe a história ›

Outras actualizações que o podem interessar ›