Compra de bilhetes
VideoPass purchase

Moto3™ reduzida a dois candidatos em Sepang

Moto3™ reduzida a dois candidatos em Sepang

O GP da Austrália representou uma reviravolta inesperada no Mundial de Moto3™ e os candidatos ao ceptro em Sepang mudaram.

Muitos podia estar à espera de ver Danny Kent tornar-se no primeiro britânico a sagrar-se Campeão do Mundo desde 1977 após a corrida de Phillip Island, mas uma queda colocou ponto final na concretização desse sonho na Austrália. A dez voltas do final Kent e Niccolo Antonelli (Ongetta-Rivacold) tocaram-se e acabaram no chão, mas Enea Bastianini (Gresini Racing Team Moto3) também se viu envolvido no incidente e teve a mesma sorte. Enquanto isso, Miguel Oliveira esteve perfeito ao vencer para sair da Austrália como o único que ainda pode travar Kent.

O paddock ruma agora ao Shell Grande Prémio da Malásia com Danny Kent a totalizar 244 na frente da classificação, mais 40 que Oliveira e tem de sair de Sepang com apenas mais 25 que o português para conquistar o título. Para isso, basta-lhe ser sexto ou melhor em caso de vitória do português.

Miguel Oliveira, da Red Bull KTM Ajo, tem-se mostrado em grande forma nas últimas quatro corridas, com duas vitórias e igual número de segundos lugares recuperando muito bem do que foi uma época de início complicado e de um certo abrandamento de resultados a meio do ano. Muito do sucesso do luso deve-se também ao novo quadro e braço oscilante que a KTM introduziu em Misano, um grande passo em frente para todos os pilotos KTM. O melhor resultado de Oliveira em Sepang é o terceiro lugar de 2013, mas o português tem de garantir a quinta vitória do ano e esperar que Kent volte a ter azar para garantir que tem as melhores possibilidades de chegar à coroa na última corrida da época em Valência.

Já Bastianini acabou por ver o campeonato terminar mais cedo e é neste momento terceiro da geral devido à terceira desistência da época. No geral, 2015 foi um ano positivo para o italiano, que conseguiu lutar pelo Campeonato do Mundo naquela que é apenas a segunda época na categoria mais baixa e é bem claro que em 2016 deverá voltar a andar entre os da frente. A batalha pela segunda posição no Campeonato ainda está em aberto e Bastianini vai certamente fazer tudo para recuperar a posição.

Com Fabio Quartararo (Estrella Galicia 0,0) a falhar o GP da Malásia devido à lesão no tornozelo, o colega de equipa Jorge Navarro tem tudo para terminar 2015 como o Melhor Estreante do Ano. Durante a primeira temporada completa no Campeonato do Mundo Navarro somou dois pódios e cinco presenças na primeira linha da grelha, incluindo a pole em Silverstone. Tal como com Bastianini, Navarro impressionou muitos em 2015 e também deverá ser um candidato ao ceptro em 2016.

O GP da Malásia é também a prova caseira para Zulfahmi Khairuddin e para a sua equipa Drive M7 SIC. A combinação fez a maior parte dos testes de Inverno no Circuito Internacional de Sepang, pelo que podem muito bem ter alguma vantagem sobre os rivais. Em 2012 Khairuddin surpreendeu com brilhante segundo posto após ter lutado com Sandro Cortese pela vitória até ao cair do pano.

Tags:
Moto3, 2015, SHELL MALAYSIA MOTORCYCLE GRAND PRIX

Outras actualizações que o podem interessar ›